Artigo Especialistas

Artigo Especialistas
A Dra. Elena Oña, integrante da equipa da Pastoral da Saúde das Irmãs Hospitaleiras no Equador, da Clínica Nossa Senhora de Guadalupe, fala-nos da Humanidade através da Atividade Assistencial Sanitária.

ACÇÕES COM HUMANIDADE:

A Organização Mundial da Saúde (OMS) incorporou a dimensão espiritual em 1998: "Saúde é um estado dinâmico de completo bem-estar físico, mental, espiritual e social e não apenas a ausência de doença ou doença" (Javier et al., Nd, p. 30).

Diz-se que a Pastoral existe há centenas de anos, mas foi apenas em 1985 que São João Paulo II instituiu o Pontifício Conselho para a Pastoral dos Agentes de Saúde, com o objetivo de promover o cuidado dos enfermos por meio das igrejas locais.

Olhando para os profissionais de saúde, em alguns casos torna-se evidente a necessidade de envolver na sua formação conceitos básicos que lhes permitam criar competências no serviço e respeito pelos valores fundamentais de quem sofre. Não bastarão as ações individuais, mas será necessário desenhar e oferecer programas de formação no cuidado espiritual nas equipas de saúde, a fim de sensibilizar os profissionais de saúde (Javier et al., N.d.)

A Pastoral da Saúde procura fazer parte dos esforços comunitários que favoreçam o encontro de cada pessoa com Jesus, uma atenção à saúde em expressar as nossas ações com humanidade para com o nosso próximo, que é quem está perto de nós, tal como os pacientes, familiares e os nossos colegas no local de trabalho (Marinelli, 2003).

Os objetivos da Pastoral da Saúde, descrevendo alguns deles, que se ajustam ao quotidiano de cada pessoa, são:

Cultura de vida: visto que a partir da saúde tudo funciona como pesquisa, intervenções e os procedimentos devem ser realizados sob a dignidade humana.

Cultura de Saúde: do nascimento à morte, busca desenvolver uma educação na saúde e moral, com uma visão integral da pessoa humana.

Humanização: consubstanciada em qualquer relação interpessoal entre o usuário e o pessoal socio-sanitário que será garantida por meio de adequada estrutura da organização e distribuição de recursos.

A pessoa do doente: Jesus, amando o próximo como a si mesmo, convida-nos a dar apoio moral e espiritual aos enfermos desde a vocação de serviço como entidade de saúde, que ajuda a aceitar e a valorizar a situação de sofrimento através do seu instrumento, como é Oração. «O serviço a quem sofre é a base para que se torne protagonista das decisões terapêuticas e pastorais (o doente como sujeito da pastoral)» (Marinelli, 2003, p. 2)

“A desumanização surge quando o homem não se reconhece como sujeito moral, condição que o obriga a buscar o bem da pessoa vulnerável e a ser responsável por suas ações” (María et al., 2020, p. 1)

Existem termos como atenção integral, humanização, desumanização, dignidade humana, direitos e outros no campo da saúde, que estão imersos na prestação de um serviço de saúde e são observados pelos usuários por meio de pesquisas de satisfação. Esta revisão bibliográfica leva-nos a questionar o que acontece no quadro de profissionais da Clínica Nuestra Señora de Guadalupe, Centro do Hospital das Irmãs do Sagrado Coração de Jesus, que presta serviços de Cuidados Paliativos e de Saúde Mental e que conta também com uma equipa de Pastoral.

Os profissionais estão sensibilizados? Conhece a Pastoral de la Salud? Associa o termo saúde com Pastoral?

Palavras-chave: saúde, pastoral, formação, humanidade

Com a revisão realizada, podemos ter uma visão onde a saúde figura e a forma como, seja qual for a função em causa, deve viver a espiritualidade, pois permite o reconhecimento de si mesmo para viver uma vida de serviço ao próximo com humanidade, gerando satisfação à razão de ser da organização, que é o paciente, além de que contribui para um bom ambiente de trabalho. Espiritualidade que permite dar sentido à vida, propósito, conexão com o outro e uma resposta de empatia com o outro ser humano; Portanto, a espiritualidade determina que “a relação com a saúde não está ligada apenas ao campo da religiosidade, pois refere-se a uma série de aspectos que contribuem para a cura das pessoas” (sangadah, 2020).

O nosso Fundador São Bento Menni, que sempre foi claro sobre a qualidade do atendimento, deixou-nos o seguinte legado: “No atendimento ao paciente, a caridade e a ciência complementam-se”.

Dra. Elena Oña, Membro da equipa da Pastoral da Saúde da Clínica Nuestra Señora de Guadalupe, das Irmãs Hospitaleiras no Equador.

Quarta, 14 de Julho de 2021