75 anos da Constituição Canónica da Província Portuguesa

75 anos da Constituição Canónica da Província Portuguesa
"Continuamos a acreditar que os planos de Deus, passam por unir forças e recursos em favor de um melhor serviço a quem sofre.” (Irmã Anália Oliveira)

Memória agradecida de 75 Anos como Província  

 

A criação da província de Portugal, como todas as outras foi precedido de um período de relativa autonomização em relação à província mãe, continuando sob a sua tutela ou diretamente dependente do Conselho Geral, com o nome de “Delegação”.

Também as primeiras casas de Portugal passaram pelo estatuto de delegação. A sua primeira delegada foi a Irmã Maria de las Mercedes Saigues que desempenhou esse cargo desde 21 de março de 1938 até 16 de outubro de 1939, data em que foi substituída pela Irmã María de las Llagas de Jesús Vidal que se manteve no cargo até à constituição da Província em 1946.

 

De 3 a 16 de outubro de 1946 realizou-se em Ciempozuelos o IX Capitulo Geral. No dia 27 do mesmo mês, a Superiora Geral Sor Silvestra Ros dirigiu ao Instituto uma circular. Dela destacamos: “A proposta mais relevante deste Capítulo, além das eleições, foi a criação das Províncias. Um objetivo há muito tempo urgente, em face da extensão que, graças ao Senhor, vai tomando o Instituto, pelo crescente número de casas e de irmãs e a grande distancia que as separa”. Assim se deu início à primeira grande reestruturação, lançando enormes desafios às jovens províncias. A província de Portugal – Província de Nossas Senhora de Fátima com 9 casas: Idanha; Belas; Funchal; Braga; Betanzos; Málaga – Clinica; Londres; Guernsey e Addlestone. A Senhora de Fátima marcou-lhe um itinerário internacional: Portugal, Espanha, Inglaterra.

 

O número de Irmãs com que começou a Província Portuguesa manifesta a vitalidade que a Congregação tinha, já nessa altura com 274 Irmãs distribuídas pelas casas então existentes. Aquando da aprovação canónica e criação das Províncias, a qualidade das religiosas que trabalhavam em Portugal era de tal maneira elevada que três delas foram chamadas para governarem as províncias então formadas:

– Irmã Dulce Nombre de Jesús, superiora da Casa de S. Gonçalo (Funchal), foi escolhida para provincial de Espanha;

– Irmã María de la Circuncisión, que estava na Idanha, foi presidir ao Governo provincial da Itália;

– Irmã Soledade de Maria assumiu o lugar de primeira Superiora da Província de Nossa Senhora de Fátima, portanto, da Província de Portugal.

 

Voos em novos espaços - crescimento e reorganização

 

Após a fundação da Casa de Saúde do Bom Jesus, em 1932, seguiu-se um período de 16 anos sem qualquer fundação da Congregação em Portugal. Só em 1948, passados aqueles flagelos, foi possível avançar com as seguintes fundações:

1948 - Sanatório Infantil de Nossa Senhora de Fátima, na Parede, 1950 - Sanatório da Sagrada Família, em S. Roque (Funchal), 1956 - foi fundada a Clínica Psiquiátrica de S. José, na Quinta da Luz (Lisboa), 1959 - Hospital Psiquiátrico de Marracuene (Lourenço Marques-Moçambique). No mesmo ano é também fundada a Casa de Saúde Rainha Santa Isabel, em Condeixa.

 

Em 1963 as irmãs dão início à presença da Congregação no Brasil, 1967 - as Casas de Saúde de Ponta Delgada e de Angra do Heroísmo – Açores, 1968 – as irmãs abrem o Centro de Recuperação de Menores no Assumar – Alentejo.

Entretanto, as irmãs foram ampliando os horizontes da missão hospitaleira na sua forma de cuidar os doentes, tendo colaborado na abertura de alguns Lares para idosos no interior do país: S. Simão de Litém, Aldeia do Bispo, Castelo Branco e Moimenta da Serra, tendo sido alguns destes locais verdadeiros viveiros de vocações hospitaleiras.

 

Em 1994 com a celebração do centenário da Casa de Saúde da Idanha, nasce a presença das irmãs na cidade da Guarda, um lugar de grande significado na vida do P. Menni e das primeiras irmãs portuguesas.

 

Um sentimento de gratidão nos invade a todas por este percurso de contínua adaptação e reestruturação de tantas irmãs que nos precederam e que são para nós fonte de inspiração para o momento que vivemos. Corajosas e determinadas, as irmãs foram-se adaptando com criatividade apostólica aos sinais que Deus ia colocando no seu caminho.

 

Passados 75 anos da constituição canónica da Província de Nossa Senhora de Fátima, continuamos a acreditar que os planos de Deus passam por unir forças e recursos em favor de um melhor serviço a quem sofre.

 

Irmã Anália Oliveira

Irmãs Hospitaleiras | Cuidar, compromisso efetivo de Vida.

Quarta, 27 de Outubro de 2021