Tempo da Criação 2022

Tempo da Criação 2022
Iniciativa católica global pelo clima incentiva a promover «mudanças e transformações» pelo meio ambiente.

Inicia-se esta quinta-feira, 1 de setembro, data em que se assinala o Dia Mundial de Oração pela Criação, o “Tempo da Criação”: um período que se prolonga até 4 de outubro (dia da festa de São Francisco de Assis, o santo padroeiro da ecologia) um momento especial a todos os cristãos para rezar e cuidar juntos da nossa casa comum. (Papa Francisco, Mensagem para a Celebração do Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação 2022). 

Trata-se de uma celebração ecuménica anual de oração e ação, inspirada pela encíclica Laudato Si’ do Papa Francisco, que na sua mensagem para este ano deixa o alerta: “o canto doce da criação mistura-se com o seu grito amargo”.

Na Mensagem, o Papa Francisco relembra as origens desta iniciativa ecumênica, inspirada no Patriarcado Ecumênico de Constantinopla e oficializada em 2015 – e a oportunidade de “cultivar a nossa ‘conversão ecológica’, uma conversão encorajada por São João Paulo II como resposta à ‘catástrofe ecológica’ prenunciada por São Paulo VI já em 1970”.

“Escuta a Voz da Criação” é o tema do Tempo da Criação 2022, em que a oração e a ação comum podem ajudar a escutar as vozes de indivíduos, comunidades, espécies e ecossistemas perdidos ou ameaçados pela perda de habitat e por mudanças climáticas. A oração concentra-se sobre o grito da Terra e sobre o grito dos pobres.

Através de celebrações, momentos de oração públicos, ações simbólicas e iniciativas, as comunidades de oração podem, assim, amplificar as vozes dos jovens, indígenas e comunidades afetadas que não são escutadas na sociedade. A escuta da voz da criação oferece aos membros da família humana um ponto comum para o diálogo e a prática inter-religiosa e interdisciplinar. Escutando a voz da criação, os cristãos e todos os seres humanos estão unidos na vocação de cuidar da casa comum.

A sarça ardente é o símbolo tirado da passagem bíblica do Êxodo “Ouvi o seu grito… conosco os seus sofrimentos… Portanto, vá! Eu te envio… estarei contigo” (Ex 3, 1-12). Recorda visualmente os incêndios causados ​​por efeitos devastadores da mudança climática, em grande parte atribuíveis à ganância humana e ao uso impróprio da terra, que conduzem à desertificação e desintegração dos ecossistemas, à destruição dos habitats e das espécies, à perda de meios de subsistência.

Ao contrário, o fogo que chamou Moisés enquanto pastoreava o rebanho no monte Horebe não consumiu nem destruiu a sarça, mas revelou a presença de Deus. Indica que Deus escuta o grito de todos os que sofreram e promete estar com eles. No Tempo da Criação, este símbolo do Espírito de Deus chama cada um/a a escutar a voz da criação e a responder através da adoração, do arrependimento e da ação.

A este propósito, o Papa Francisco destaca a dimensão comunitária da conversão ecológica: “Como pessoas de fé, sentimo-nos ainda mais responsáveis ​​por agir, nos comportamentos cotidianos, em consonância com tal exigência de conversão. Mas ela não é apenas individual: a conversão ecológica que se requer para criar um dinamismo de mudança duradoura é também uma conversão comunitária”.

 

Para se preparar ao Tempo da Criação, além da Mensagem do Papa Francisco,o Comitê Consultivo do Tempo da Criação disponibiliza o Guia para a celebração de 2022 disponível em:

Guia de Celebracao

 

 

Terça, 6 de Setembro de 2022