O semeador Lc 8, 5-15

O semeador Lc 8, 5-15
Deus é quem toma a iniciativa de vir ao nosso encontro.

Disso nos recorda o Papa Francisco quando afirma que “«a vida que Jesus nos dá, tem origem numa história de amor, uma história de vida que quer misturar-se com a nossa e criar raízes na terra de cada um.” (CV 252).

Deus, o “Divino Semeador” semeia a “mãos largas” no nosso coração sem calcular a quantidade de semente que nele deposita. Semeia com a esperança de que a sua Palavra encontrará esse terreno propício que garanta a quantidade de fruto segundo o qual a semente foi lançada.


Somos desafiados cada dia a receber a sua Palavra Eterna, Jesus, e a deixar que Ele nos nutra o coração, para não ser aquela terra inóspita que impede à semente germinar, crescer e produzir até aos cem por um de que nos fala a parábola do Evangelho.


Tendo sido alcançados pela graça da sua sementeira, Ele provoca-nos a produzir esse fruto abundante que outros esperam ver transformado em pão. Pede-nos ousadia e generosidade no empenho de preparar outros corações, a que sejam a terra fecunda, pronta a receber essa semente de Vida que nos permite transcender os limites do humanamente calculável e produzir ora cem, ora sessenta, ora trinta. (Mt 13,23)

Com que disposição escuto e acolho a Palavra de Deus?
Em que qualidade de terreno está a cair essa Palavra?
A semente já foi lançada, faltam os frutos, porque “Pelos frutos é que se conhece a árvore” (cf Lc 6,49). Onde estão os meus frutos?

 

Sexta, 21 de Fevereiro de 2020