Crónicas de hospitalidade #7

Crónicas de hospitalidade #7
"Recentemente começamos a ver novamente a luz ao fundo do túnel, depois de longos meses de bloqueio devido à Covid-19...". Testemunho de Dra. Silvia Capezzuto e Dra. Marisa Nicolini

Recentemente   começamos   a   ver   novamente   a   luz  ao  fundo  do  túnel,  depois  de  longos  meses  de  bloqueio  devido  à  Covid-19  que,  em  Itália, como  é  sabido,  demonstrou  ser  particularmente agressiva.  No  centro  Casa  di  Cura  Villa  Rosa, das  Irmãs  Hospitaleiras  em  Viterbo  (Itália),  dedicado  à  assistência  a  idosos,  estamos  a  voltar  gradualmente à normalidade, depois de a Autoridade de Saúde Local ter comprovado que toda a Comunidade Hospitaleira estava livre do coronavírus.

O    centro    permaneceu    dois    meses    e    meio    totalmente  fechado,  com  o  objetivo  de manter toda a Família do Hospital unida e a salvo, embora  fisicamente  distanciada,  para  lutar  não só contra o vírus, mas também contra a sensação de  perda  e  saudade  que  os  residentes  sentiram,  especialmente aqueles que agora comentam: “apesar deste período de interrupção de muitas atividades e da distância  forçada  da  minha  família,  agradeço  às  Irmãs Hospitaleiras e a todos os profissionais que nos fizeram sentir sempre apoiados e acompanhados”.

Outro  dos  nossos  residentes  também  reconhece:   “refletindo   sobre   este   período, aparentemente  vazio,  considero  que  foi  uma  ocasião  para  nos  aproximarmos  e  apoiarmos,  ainda  mais, entre os residentes. O tédio e o vazio destes meses  representaram  uma  oportunidade  para  refletir mais, sobre mim mesmo e a história da minha vida, bem como para rever alguns dos meus valores”.

Consideramos  que  é  particularmente  importante  partilhar  a  experiência  comovedora  do  Padre  Mario, também residente do centro: “Durante o período de confinamento, senti-me como um sacerdote que já tinha terminado a sua missão. Em contrapartida, descobri que o Senhor também usa aqueles que  agora  parecem  inúteis,  para  continuar  o  seu  trabalho. O gerente do centro perguntou-me se queria  administrar  os  sacramentos  aos  residentes  e dar uma palavra de consolo a quem muitas vezes sofre sozinho. Imediatamente respondi: estou aqui para  aquilo  que  precisarem,  reconheço  o  risco  da  situação e sinto-me chamado a dar consolo a partir da minha cama do hospital”.

Concluímos   com   o   reconhecimento   e   gratidão  a  toda  a  Comunidade  Hospitaleira  que,  ao  oferecer  o  melhor  de  si  mesma,  a  todos  os  níveis,  tanto  pessoal  como  profissional,  e  nas diversas  áreas  de  responsabilidade,  deteve  a entrada do Covid-19 no lar de idosos Villa Rosa. Todos levaram a cabo, com dedicação e coragem, um  atendimento  integral  de  qualidade,  carregado  de humanidade, praticando a hospitalidade. Esperamos   que,   quando   terminar   esta   pandemia,   a   humanidade   caminhe   para   um   futuro   mais  brilhante,  repleto  de  valores.  Juntos  poderemos  conservar  e  desenvolver  o  legado  de  S.  Bento  Menni,  unindo:  “ciência  e  caridade".

Dra. Silvia Capezzuto e Dra. Marisa Nicolini

Terça, 28 de Julho de 2020