Reflexões do Papa Francisco sobre a Pandemia

Reflexões do Papa Francisco sobre a Pandemia

Ontem, dia 12 de agosto, o Papa partilhou com o mundo mais uma reflexão, em contexto de pandemia e de “pandemias” que afetam a dignidade do ser humano, devido às consequências sociais, económicas e políticas, às quais não podemos ser indiferentes – “A pandemia pôs em evidência quão vulneráveis e interligados estamos todos nós. Se não nos preocuparmos uns com os outros, a começar pelos últimos, por aqueles que são mais atingidos, incluindo a criação, não podemos curar o mundo”.

Francisco começa por elogiar o empenho de muitas pessoas que “demonstram amor humano e cristão pelo próximo, dedicando-se aos doentes até arriscando a própria saúde. São heróis”!

No entanto, o coronavírus não é a única doença a combater.

A pandemia trouxe à luz patologias sociais mais vastas.

Uma delas é a visão distorcida da pessoa, um olhar que ignora a sua dignidade e a sua índole relacional.

 Por vezes consideramos os outros como objetos, a serem usados e descartados …

 

…Contudo, à luz da fé, sabemos que Deus olha para o homem e para a mulher de outro modo. Ele criou-nos não como objetos, mas como pessoas amadas e capazes de amar; criou-nos à sua imagem e semelhança (cf. Gn 1, 27).

 

Diante de um mundo carente e inseguro peçamos ao Senhor um olhar de empatia, capaz de ver e cuidar as feridas emergentes.

… E nós, como Comunidade Hospitaleira, queremos ser esse “olhar atento aos irmãos e irmãs … e contemplando o mundo à luz da fé, esforçar-nos por desenvolver, com a ajuda da graça, a sua criatividade e entusiasmo para resolver os dramas da história”.

Quinta, 13 de Agosto de 2020