Fundadores

Bento Menni

Bento Menni nasceu em Milão (Itália) em 11 de Março de 1841, filho de Luigi Menni e Luigia Figini, sendo o quinto de 15 irmãos.
A par do ambiente familiar, que marca a vida de qualquer homem, quatro episódios intervêm na sua decisão de se tornar Irmão de São João de Deus:

  • Uns exercícios espirituais aos 17 anos
  • Os conselhos de um eremita de Milão
  • A sua oração diária diante de um quadro de Nossa Senhora
  • O exemplo dos Irmãos de São João de Deus no acolhimento e cuidado aos soldados feridos que chegavam de Magenta à estação de Milão, serviço que o próprio Menni praticou.

Em 1860, Bento Menni entrou na Ordem Hospitaleira de São João de Deus, trocando o nome de Ângelo Hércules, recebido no batismo, pelo de Bento. Fez os estudos filosóficos e teológicos primeiro no Seminário de Lodi e depois no colégio Romano (Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma). Foi ordenado sacerdote em 1866. 
Pio IX confiou-lhe a difícil missão de restaurar em Espanha a extinta Ordem Hospitaleira, tarefa essa que iniciou em 1867. À restauração da Ordem em Espanha seguiu-se também, no final do século XIX, a restauração da mesma em Portugal e, no início do século XX, no México.

Em 31 de Maio de 1881, com Mª Josefa Recio e Mª Angustias Giménez fundou a Congregação das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus. Foi um homem de caridade inesgotável e de excecionais dotes de governo.
O início é particularmente difícil. A magnitude da obra e a falta de meios e de recursos económicos e assistenciais só podem ser compensadas pela generosa entrega das irmãs e pelas contribuições pessoais e materiais de alguns colaboradores, benfeitores e voluntários.
 

No dia 24 de Abril de 1914 Bento Menni faleceu em Dinan (França). Os seus restos repousam em Ciempozuelos, Casa-mãe das Irmãs Hospitaleiras o sagrado Coração de Jesus. Por altura da sua morte, tinha criado 22 grandes centros entre asilos, hospitais gerais e hospitais psiquiátricos. 
Em 23 de Junho de 1985 foi declarado beato pelo Papa João Paulo II, que o canonizou em 21 de Novembro de 1999, ato pelo qual se reconheceu perante a Igreja a sua santidade, por ele vivida num grau extraordinário.

Mª Angustias Giménez e Mª Josefa Recio

No dia 21 de Junho de 1880, Maria Josefa e Maria Angustias, contrariando a vontade dos seus familiares, saem de noite em direção a Ciempozuelos para com S. Bento Menni iniciarem a fundação da Congregação das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus.
Instalaram-se em Ciempozuelos e rapidamente adotaram o lema dado por Bento Menni, que sintetizava o seu desejo de se consagrarem a Deus no serviço aos doentes mentais: “rogar, trabalhar, padecer, sofrer, amar a Deus e calar.”

Em 31 de Maio de 1881, o primeiro grupo de oito irmãs deu início à Congregação. Decorridos três anos ao serviço das doentes, Maria Josefa Recio morre a 30 de Outubro de 1883 vítima da caridade hospitaleira. A sua companheira viveu mais 14 anos, vindo a morrer em 1897.
O notável crescimento dos cuidados de saúde públicos, tanto em estrutura e pessoal como em recursos materiais, especialmente nos países desenvolvidos, não abafa o panorama original do momento fundacional da Congregação: o ser humano que sofre devido à doença e às limitações da própria sociedade para lhe prestar o atendimento humano e médico de que necessita.